Feliz dia dos pais

A postagem desta semana é uma singela homenagem aos pais logísticos, dos mais simples auxiliares de movimentação, aos motoristas, pilotos, aeroviários, marinheiros, analistas e planejadores, aos altos executivos que planejam os mais complexos fluxos de bens e informações ao longo da cadeia de suprimentos.

Que a pressão do dia a dia, que os prazos curtos, as incertezas da demanda, as diferenças de estoque, as estradas ruins e a burocracia, não lhes tirem o sono e lhes permitam ter o tempo adequado para a convivência com seus filhos e para apreciar toda a alegria de suas descobertas.

Feliz dia dos pais!

photo by Simona Belint – freeimages.com

A ineficiência nossa de cada dia – Perguntas que não calam

Há muito tempo, visitando o Rio de Janeiro como turista com a família, resolvemos ir ao Pão de Açúcar.  Achei muito estranho o fato de que, no bondinho, pagamos somente a passagem de ida.  A passagem de volta foi paga lá no alto.
Daí surgiu a pergunta: Será que é muito grande o percentual dos passageiros que desce o rochedo de rapel, voando, que se joga, sei lá?  Porque não me parece fazer sentido que se cobre por trecho, algo que é o único meio de transporte para a ida e para a volta.
Mais recentemente, meu filho voltando de Ilhabela, descobriu que a passagem da balsa é paga no sentido Continente – Ilha, e novamente no retorno.  Pergunta:  Será que tem muito turista que volta à nado?  Ou a quantidade de  carros anfíbios no Brasil é muito grande?  Nesse caso não precisaria nem da balsa né!
Por que essas cobranças não poderiam ser feitas em um único evento, economizando papel, funcionários, tempo e tudo o mais?
Ontem, acompanhei minha esposa a um hospital do convênio para um pequeno procedimento dermatológico para o qual ela já havia recebido indicação através de uma consulta prévia.  Na recepção, o sempre presente dispensador de senhas numéricas.  Depois de uma espera razoável, um tempo de atendimento mais longo ainda para o preenchimento da papelada.
Depois de preenchidos todos os formulários, feitas as assinaturas, carimbos, benzeduras e outros ritos no guichê, foi solicitado a ela que se dirigisse à ala dos consultórios e aguardasse a chamada. Lá estávamos e, depois de algum tempo vem a funcionária da recepção trazendo um punhado de papeis e depositando em um escaninho na porta do consultório.

Quanto tempo se perde em atividades inúteis?

Mais um tempinho de espera e sai o médico para recolher os formulários, entra novamente no consultório (provavelmente para ler do que se trata), e depois inicia a chamada dos pacientes.  Ora, estamos em 2016, será que não seria mais prático que cada médico recebesse online a ficha dos pacientes designados?  
Ah, e antes de executar o procedimento, o médico solicitou que a paciente voltasse à recepção para preencher novos formulários para que ele pudesse realizar o procedimento.
Ora, mas se já havia uma indicação prévia declarada logo ao chegar, por que todos os formulários não foram preenchidos de uma só vez?
A conclusão é que gastamos mais tempo na recepção preenchendo a papelada do que no procedimento propriamente dito, que não chegou a demorar 5 minutos.
Em quantos outros lugares como Bancos, Correios, Postos de combustível, e mesmo de forma mais prosaica em bares, restaurantes e padarias, não nos deparamos com esse mau uso dos recursos?
Esses são apenas alguns exemplos que compõem o custo (escondido) da nossa ineficiência crônica, que derrubam o nível de serviço, e que fazem com que tudo demore mais e demande recursos desnecessários.
Sabe por que?   Porque parece que o ato de pensar está cada vez menos valorizado e a criatividade deu chá de sumiço.  Temos os recursos mas continuamos repetindo coisas do tempo em que sequer existiam computadores. Isso faz com que milhares de horas e milhões de Reais sejam gastos sem que se acrescente uma mísera gota de valor ao produto ou ao serviço.
Está na hora de cada um de nós fazer algo no sentido de eliminar a ineficiência nossa de cada dia.
E você, o que anda fazendo para racionalizar as suas atividades diárias no trabalho?

Quanto ganham os profissionais de logística?

A Associação Brasileira de Logística – ASLOG publicou recentemente uma pesquisa sobre a remuneração dos profissionais de logística em 2009, que utilizou os dados de 36 empresas das quais 22 com sede em São Paulo.


Os dados completos dessa pesquisa podem ser vistos aqui.

Notas sobre o sucesso

Desde 1984, realiza-se nos Estados Unidos um evento chamado TED (de Tecnologia, Entretenimento, Design) que tem como missão espalhar idéias de valor entre os participantes.
Hoje em dia, é realizado em vários lugares do mundo e não se limita apenas às 3 áreas originais. No Brasil, o Ricardo Jordão da BizRevolution promoveu um evento semelhante em Março, que ele chamou de EPICENTRO.
O que está no link é um vídeo de 3 minutos em que Richard St. John, da empresa de marketing St. John group delineia o que ele chama de 8 passos para o sucesso. A palestra dele é um fantástico exemplo de concisão e é bastante inspiradora.

Entre outras coisas eu posso destacar:

  • O que tiver de fazer, faça com paixão;
  • Tenha determinação;
  • Seja o melhor naquilo que se propõe a fazer;
  • Persista (mesmo diante das falhas e de outras “merdas”;
  • etc…

Embora disponível no link, para os mais preguiçosos, leia abaixo a transcrição:

Esta é uma apresentacão de 2 horas que eu dou a estudantes, condensada em 3 minutos. Tudo comecou num avião, voando rumo a uma TED, sete anos atrás. Sentada ao meu lado estava uma estudante secundarista, uma adolescente, e ela vinha de uma familia bem pobre Ela queria fazer algo de importante na vida e me fez uma pergunta simples. “O que leva alguém a ter sucesso?” E eu me senti realmente mal, porque eu não consegui dar uma boa resposta à ela. Então, eu sai do avião e vim para a TED. E eu pensei, “Nossa, estou no meio de muita gente bem-sucedida, porque eu não pergunto à eles o que os ajudou a ter sucesso, e ensino isto aos estudantes?” Portanto, aqui estamos, 7 anos e 500 entrevistas depois, e eu vou contar à vocês o que realmente leva ao sucesso, e faz os TEDers bons A primeira coisa é paixão. Freeman Thomas disse, “eu sou movido pela minha paixão”. TEDers fazem as coisas por amor, não por dinheiro. Carol Coletta disse, “eu pagaria a uma pessoa para fazer o que eu faço” E o interessante é que se você faz as coisas por amor, o dinheirovem junto “Trabalho!”, me disse o Rupert Murdoch. “No final, é trabalho duro, sempre” “Nada vem facilmente, mas eu me divirto muito”. Ele disse diversão? O Rupert? Sim! Os TEDers se divertem trabalhando. E trabalham duro. Eu me dei conta, eles não são viciados em trabalho. Eles são brincalhões no seu trabalho. Alex Garden diz “Bom! Para ter sucesso você tem que enfiar o nariz em alguma coisa, e se tornar extraordinariamente bom nela” Não há mágica. É praticar, praticar, praticar E manter o foco. Norman Jewison me disse, “eu acho que tem a ver com se focar em uma coisa” E se esforçar! David Gallo disse, “esforce-se, fisicamente, mentalmente, você tem que se esforçar, se esforçar, se esforçar” Você te que se esforçar contra a timidez e a insegurança Goldie Hawn disse, “eu sempre tive inseguranças, de que eu não era boa o suficiente, esperta o suficiente, e eu não achava que eu ia chegar lá”. Mas não é fácil ficar sempre se esforçando, e é por isto que inventaram as mães Frank Gehry me disse, “A minha mãe me estimulava” Servir! Sherwin Nuland disse, “é um privilégio servir, como médico”. Um monte de garotos dizem que querem ser milionários e a primeira coisa que eu digo à eles é, “OK, mas você não deve querer só para você, você tem que dar aos aos outros algo de valor, Porque é assim que as pessoas ficam realmente ricas”. Idéias. O TEDer Bill Gates disse, “eu tinha uma idéia- – fundar a primeira empresa de programas para micro-computadores”. Eu diria que esta foi uma ótima idéia E não há mágica na criatividade para ter estas idéias, é so ir fazendo umas coisas bem simples. Eu dou um monte de provas disto. Persistir. Joe Kraus disse, “Peristência é a razão número um para o sucesso”. Você tem que persistir quando falha, Persistir em meio a merda! O que , é claro, significa: “criticas, rejeição, babacas e pressão”. -risadas- A grande resposta à esta questão é simples: Pague 4000 dólares e venha à TED Se isto não der certo, faça as 8 coisas- e confie em mim- estas são as oito grandes coisas que levam ao sucesso. Muito obrigado, TEDsters, pelas entrevistas!

Vale a pena pesquisar também as outras palestras. Há coisas surpreendentes para reflexão.

Você está louco!


Estou terminando de ler o novo livro do Ricardo Semler em português (depois de 18 anos do “Virando a própria mesa”. O cara é genial.
Merece aplausos pela forma como encara a vida e como materializa isso na gestão de suas empresas. Além de ser uma leitura leve e estimulante.
Vale a pena ler! Eu recomendo.

Prometo comentar mais assim que terminá-lo.

É possível agregar valor ao seu processo comprimindo o tempo?

Se você está pensando que este é um artigo sobre ficção científica está enganado!
Estamos falando de eliminar de seus processos empresariais, todos os focos de tempo improdutivo, e desse modo aumentar o valor oferecido a seus clientes.
Os consumidores atuais estão cada vez mais querendo obter menores custos e maior qualidade para tudo, e querem suas necessidades atendidas cada vez mais rápido.
A primeira década do século XXI está acabando, e as próximas exigirão ainda mais velocidade!
Para atender a esta mudança nos desejos do consumidor as empresas necessitam se tornar muito mais ágeis em adaptar seus produtos e processos às novas características de demanda.
E para isso será necessário comprimir o tempo em toda a cadeia de suprimentos.
O objetivo de uma cadeia de suprimento é entregar valor ao consumidor a um custo menor que a concorrência. Mas o que é valor afinal?
Valor é uma mistura de benefícios tangíveis (características específicas do produto), e intangíveis (caracterizados pela imagem, reputação e responsabilidade).
Para sobreviver, as empresas devem aumentar a proporção de valor adicionado por unidade de tempo, comprimindo o tempo dentro do projeto e da operação .
O tempo que adiciona valor contém três característica básicas:
• Mudança física da natureza de um item consumível
• Produção de algo (através da mudança no produto) que o consumidor valorize ou goste e que deseje pagar para ter.
• Produção do que é desejado pelo consumidor, através do processo correto na primeira e única vez (sem retrabalhos).
Pesquisas recentes na Europa indicaram que apenas cerca de 5% do tempo total de manufatura agrega valor, reduzindo-se para 1% na totalidade da cadeia.
Se por um lado essas figuras são assustadoras, por outro lado mostram o enorme potencial de ganhos quando se foca o tempo.
A compressão do tempo nos processos da empresa aumenta as vantagens competitivas em ambos os lados da equação, porque reduz os custos e porque permite oferecer melhores serviços.
Precisamos no entanto esclarecer o seguinte:
Comprimir o tempo não é simplesmente analisar seus tempos e métodos e o desempenho dos empregados, baseado nos velhos métodos ou processos de trabalho.
Tampouco é fazer os empregados trabalharem mais rápido à custa de perda de qualidade, insegurança ou desemprego.
Estamos falando de trabalhar de forma mais inteligente e menos árdua, removendo os desperdícios ao longo do processo, e com isso obtendo maior satisfação dos consumidores, redução dos níveis de inventário e melhoria da qualidade.
E quais as atividades que agregam tempo mas não agregam valor ?
• Fila
• Tempo de retrabalho,
• Tempo desperdiçado por indecisão gerencial.
Um simples fluxograma que utilize o tempo como base de medição lhe indicará qual o tempo que agrega valor e qual o tempo inútil em seus processos.
A partir daí, a aplicação dos conceitos de compressão de tempo atuará complementando seus outros programas de mudanças organizacionais, ou de qualidade total, permitindo tirar vantagem desse novo foco.
E o que podemos esperar como resultados quando focalizamos nossas análises no tempo?
A lista seria extensa mas podemos destacar:
• Ganhos de qualidade de 60% a 80%
• Ganhos de produtividade maiores que 50%
• Reduções de inventário de 50% a 80%
• Reduções do tempo de desenvolvimento entre 50% a 75%
Além desses, também o foco no tempo serve para apontar novas áreas de ação tais como:
• Geração de soluções para os problemas e as oportunidades identificadas,
• Identificação de programas de mudanças
• Identificação das falhas organizacionais,
• Motivação e entusiasmo nos colaboradores,
• Aumento imediato da lucratividade
Usar o tempo como base das decisões implementa a responsabilidade e agilidade dentro das empresas e tem como um de seus maiores benefícios tornar visíveis os processos da cadeia de suprimentos permitindo executar rapidamente as mudanças necessárias.
Portanto, comece a examinar suas atividades a partir das mais simples (lembre-se que todas as atividades complexas compõem-se de muitas atividades simples).
Analise sua real importância e veja se não pode ser eliminada ou realizada em paralelo com outras.
Pense criativamente em alternativas para reduzir seus tempos de processo,
E lembre-se que pela lei dos consumidores não há lugar para os mais lentos.