Contrate bons escritores

imagem por Chris Greene – www.freeimage.com

Na série de vídeos que estou desenvolvendo, tenho procurado destacar as qualidades de bons analistas, aqueles profissionais que fazem a diferença nos projetos em que se envolvem.

Essa também é uma conversa recorrente com meus alunos, após ter solicitado alguma pesquisa ou leitura, seguida da elaboração de relatórios, quando chegam aqueles textos “enormes” de um ou dois parágrafos e não mais do que 10 linhas.
-Aprendam de uma vez: Escrever é fundamental.

Hoje, dando uma limpada naqueles documentos perdidos em nossos backups, vi o texto abaixo e não poderia deixar de compartilhar, visto que fala exatamente sobre o assunto

Contrate bons escritores:

Se está tentando decidir entre poucas pessoas para preencher uma posição, sempre contrate o melhor escritor. Não importa se essa pessoa é um designer, programador, marketing, vendedor ou o que for, essa habilidade leva a escrever mais efetivamente e concisamente código, design, emails, mensagens instantâneas e mais.
Isso porque ser um bom escritor é mais do que apenas palavras. Bons escritores sabem como se comunicar. Eles tornam as coisas mais fáceis de entender. Eles podem se colocar no lugar dos outros. Eles sabem o que omitir. Eles pensam claramente. E essas são as qualidades que você precisa.

Uma Mente Organizada
Boas habilidades de escrita são um indicador de uma mente organizada que é capaz de arranjar informação e argumentos de uma maneira sistemática e também ajudar (não fazer) outras pessoas a entender as coisas. Isso aparece no código, comunicação pessoal, mensagens instantâneas (para aqueles colaboradores de longa distância) e até esses conceitos exotéricos como profissionalismo e confiança.
 —Dustin J. Mitchell, developer (de Signal vs. Noise)

Escrita Clara leva a Pensamento claro
Escrita clara leva a pensamento claro. Você não sabe o que sabe até tentar expressar esse conhecimento. Boa escrita é em parte uma questão de caráter. Em vez de fazer o que é fácil para você, faça o que é mais fácil para seu leitor.
—Michael A. Covington, professor de ciências da computação da Universidade da Geórgia

fonte do texto: https://signalvnoise.com/archives2/hiring_tip.php

Quando há um problema, você acha que encontrar uma resposta resolve tudo?

Nada está mais longe da verdade! Encontrar uma resposta não é o último passo. É apenas o passo anterior ao início das ações necessárias para retornar à harmonia.

Para continuar a nossa conversa é preciso que concordemos com alguns axiomas sobre os problemas:

  • Um problema existe quando você tem que relacionar dois ou mais fatos mensuráveis, que estejam em conflito.
    Isso leva a um outro axioma: Todos os elementos causadores do problema devem ser mensuráveis;
  • E antes que você se desespere, saiba que:
    Tudo, sem exceções, é mensurável. Talvez você não saiba como medir algo, mas isso não significa que não possa ser medido.
  • Todo problema tem solução. Também nesse caso não há exceções. Vou repetir: Todo problema tem solução!  E geralmente tem mais do que uma única solução.
  • Para resolver um problema a primeira coisa a fazer é entendê-lo completamente.
É da natureza humana querer encontrar soluções para um problema antes dele ter sido entendido. Quem nunca se pegou botando um equipamento para funcionar antes de ler o manual? Ou começando a desmontar uma máquina quebrada antes de saber as suas características de funcionamento?
Na boa? Evite isso. Entenda primeiramente a natureza do problema, os usos, as funções, e as características do que não está em conformidade com os resultados esperados, e deixe que isso guie a escolha de suas alternativas de solução

E agora sim, alguém poderia apresentar um certo grau de pânico. Para resolver problemas você dependerá em maior ou menor grau, de criatividade, de intuição, e de muita observação. Porque para contar só com a lógica (o que já não é assim tão fácil), você teria que dispor da totalidade dos fatos, o que convenhamos é muito raro no mundo real.

 E agora, o que fazer?

O primeiro passo é aprender a medir.  Já disse em outras oportunidades, aqui mesmo no blog, que só conhece quem mede. E já fiz outras postagens mostrando como como medir, como comparar, e como apresentar os resultados dessas medições.
Um segundo passo importante, é observar o comportamento do sistema que parece ser um problema. Eu disse “parece ser” porque em muitas ocasiões, aquilo que parece ser o problema é na verdade uma consequência do verdadeiro problema.  Portanto, exercite o seu poder de observação – mais dados aqui.
E em terceiro lugar, estabeleça um protocolo de exploração do problema, para que nada seja esquecido.
Você, com certeza, já viu algum vídeo de um sítio de exploração arqueológica com aquelas linhas delimitando quadros no chão. Pois é, aquilo é feito para que nenhum pedaço de terra seja esquecido.
Do mesmo modo, é para isso que servem as listas de checking preenchidas pela tripulação de uma aeronave. Exatamente para que nada tenha sido deixado de lado.
Só assim você poderá ter a certeza de que sua análise foi completa.
Em uma outra postagem, vamos reunir essa abordagem dos problemas, com simplificação do trabalho, e com o assunto que tratamos na semana anterior sobre gerenciamento da mão de obra.
Se gostou desta postagem, comente, dê o seu joinha. E se tiver algum assunto que queira ver desenvolvido, deixe o seu comentário.

Segurança em armazéns

imagem by https://pixabay.com

Você sabia que segundo pesquisas americanas levadas à efeito pela OSHA (Occupational Safety and Health Administration), que é o orgão norte americano que cuida da segurança do trabalho, cerca de 80% dos acidentes em armazéns acontecem na área das docas, que via de regra ocupa apenas 20% da área operacional total das instalações.

Segundo a mesma pesquisa, uma das causas mais comuns são os atropelamentos, principalmente quando os carregamentos/descarregamentos são feitos através da entrada da empilhadeira no interior dos veículos.

Para mitigar esse problema e outros tantos de segurança ocupacional, precisamos pensar em termos de como sinalizar de modo inequívoco as áreas mais perigosas, e como prevenir e eliminar as situações de risco, para o que será importante refletir sobre as seguintes afirmativas:

  1. A segurança é sempre Top – Down. Isso significa que começa pelos níveis superiores de sua hierarquia e deve sempre ser mandatória e não apenas sugestões. O credo de uma das empresas que tenho a honra de atender, diz em uma frase algo assim; “Nenhum trabalho é mais importante do que a segurança dos empregados”. Simples assim!
  2. O treinamento dos envolvidos é imprescindível, e isso exige qualidade de material e instrutores capacitados;
  3. É muito importante conhecer como os colaboradores trabalham. Os métodos de trabalho devem ser documentados e padronizados;
  4. Obtenha o envolvimento dos empregados na discussão e avaliação dos riscos, e na busca de soluções;
  5. Aprofunde-se nos conhecimentos de ergonomia e das demais necessidades físicas, metabólicas e psicológicas dos empregados. Essas são variáveis importantes quando o assunto é segurança;
  6. Avalie os riscos de cada atividade, discuta e esquematize os modos de redução desses riscos;
  7. Avalie as condições do armazém e elimine as condições inseguras (sem dó). Isso inclui iluminação, ventilação, ruídos, obstruções, manutenção de equipamentos e muitas outras coisas.
  8. Investigue a fundo as causas dos acidentes e incidentes. Registre, e trace um plano de ação para cada um.  É uma filosofia desse tipo que torna a aviação tão segura, porque cada acidente é tomado como um meio de aprender a lição e aperfeiçoar o processo para que nunca mais aconteça algo parecido;
  9. Mantenha um canal consistente de comunicação entre todos os níveis. Isso envolve feedback;
  10. Crie métricas que avaliem e valorizem a presença de situações seguras. Faça uma gestão positiva e não apenas das circunstâncias de falta de segurança. Incentive a segurança e a produtividade. Premie, torne públicas as boas ações.

O que fazer para melhorar a segurança?

Há inúmeras ações de segurança e prevençao que exigem pequenos investimentos, e muitas vezes investimento algum, mas que contribuirão para a melhoria do ambiente de trabalho. Ações assim passam despercebidas para a maioria dos gerentes e técnicos de segurança.

Que tal considerar:

  • Mastros flexíveis com bandeirolas para que paleteiras e empilhadeiras sejam visíveis acima dos páletes estacionados e possam ser vistas antecipadamente?
  • Sinalização de solo como faixas de pedestres e bloqueios visuais nos cruzamentos?
  • Espelhos convexos nas esquinas?
  • O uso de coletes ou faixas refletivas nos uniformes de seu pessoal (ao transitar pelos corredores dos armazéns)?
  • Estabelecer regras do tipo: Empilhadeira operando = proibida a passagem de pedestres.
  • O uso de formulários para o registro de condições inseguras, incidentes, e sugestões para a melhoria da segurança?
  • Pintura que destaque os pilares e as obstruções inevitáveis?

Participe ativamente do blog: 

Que outras ações de segurança você conhece ou são aplicadas nos armazéns da sua empresa?

Poste seu comentário, compartilhe suas sugestões.  De um “curtir”. Diga que gostou do que leu.

1.     

Ferramentas gratuitas para ilustrar seus projetos e apresentações

Muitas vezes precisamos ilustrar um projeto ou apresentação e falta-nos a imagem ou o desenho capaz de comunicar nossa ideia.  Ao invés de recorrer a uma imagem colhida na internet possivelmente violando direitos autorais e nem sempre perfeitamente adequada aos nossos propósitos, aprenda que existem inúmeras ferramentas gratuitas que podem nos salvar nessas horas.
Eu pretendo considerar aqui 3 situações bem definidas: Desenhos de engenharia, Representações tridimensionais; e Fotos ou Ilustrações.
Não vou tratar aqui de diagramas e gráficos que também podem ser construídos através de ferramentas gratuitas, mas uma postagem sobre desse tipo de aplicação ficará para uma outra ocasião. 

Desenhos de engenharia

O mais clássico dos software para esse tipo de desenho é o AutoCAD desenvolvido e comercializado pela AutoDesk, mas cujo valor da licença o torna inviável para usuários eventuais e estudantes.
Entretanto, a AutoDesk disponibiliza versões gratuitas para estudantes em http://www.autodesk.com/education/free-software/featured
Além desse, há também o FreeCAD em http://www.freecadweb.org
Uma situação muito comum em logística é o desenho de layouts de instalações, que podem ser estruturas extremamente complexas. Nesse caso, há múltiplas vantagens na utilização de software no conceito CAD (computer aided design) ao invés de aplicativos voltados à construção de diagramas, ou para desenhos não vetoriais.  As múltiplas ferramentas de produtividade dos CAD os tornam muito práticos para escalar, replicar, desenhar em camadas, e imprimir em formatos ABNT.   De um modo geral não são intuitivos e fáceis de utilizar como um processador de texto; a curva de aprendizagem é longa mas a qualidade final do trabalho compensa o esforço em aprender os seus princípios.

Modeladores tridimensionais

Embora os software de CAD possuam ferramentas 3D, seu uso não é para principiantes.  Aqui eu quero tratar de ferramentas capazes de oferecer resultados com um aprendizado mais rápido.
Na minha opinião o rei dessa categoria é o Sketchup.   
Esse modelador 3D também exige uma curva de aprendizagem para extrair dele todo o seu potencial, embora eu o considere bastante intuitivo e divertido de utilizar.  Mas não se desespere, há centenas de tutoriais disponíveis pela web.  
Uma vantagem adicional é o armazém 3D que funciona em regime de colaboração, e de onde se pode baixar modelos já prontos para aplica-los nos seus próprios.  A imagem ao lado veio de lá.
Graças à sua paleta de cores e texturas, eu o utilizo mais para modelos ilustrativos, detalhando formas e equipamentos por exemplo, mas com ele é possível de se construir modelos tridimensionais extremamente complexos. Você não acreditaria do que a versão paga é capaz de oferecer em termos de texturas.
Uma segunda opção para modelagem 3D é o Wing3D   Eu ainda não o experimentei, mas pelo que vi nos tutoriais, parece poderoso. Dizem que é mais intuitivo do que o Sketchup mas porque utiliza uma técnica de desenho poligonal diferente da utilizada por este, a construção de formas me pareceu um tanto confusa.

Fotos e Ilustrações

Aqui também há várias opções.
Eu utilizo o FreeImages    e o Pixabay    A primeira imagem desta postagem veio do primeiro.
São portais colaborativos com muitas fotos, ilustrações e vídeos mantidos sob licença Creative Commons, em que se pode encontrar dentre os milhares de fotos, ilustrações e vídeos de boa qualidade, aquele que seja a mais adequado para comunicar a sua ideia.  E se você resolver pagar há uma seção de fotos premium.

Há porém um detalhe imprescindível que não pode deixar de ser lembrado: Se você não sabe inglês, desculpe mas você perdeu o bonde.  O único deles que está em português é o Sketchup.

A ineficiência nossa de cada dia – Perguntas que não calam

Há muito tempo, visitando o Rio de Janeiro como turista com a família, resolvemos ir ao Pão de Açúcar.  Achei muito estranho o fato de que, no bondinho, pagamos somente a passagem de ida.  A passagem de volta foi paga lá no alto.
Daí surgiu a pergunta: Será que é muito grande o percentual dos passageiros que desce o rochedo de rapel, voando, que se joga, sei lá?  Porque não me parece fazer sentido que se cobre por trecho, algo que é o único meio de transporte para a ida e para a volta.
Mais recentemente, meu filho voltando de Ilhabela, descobriu que a passagem da balsa é paga no sentido Continente – Ilha, e novamente no retorno.  Pergunta:  Será que tem muito turista que volta à nado?  Ou a quantidade de  carros anfíbios no Brasil é muito grande?  Nesse caso não precisaria nem da balsa né!
Por que essas cobranças não poderiam ser feitas em um único evento, economizando papel, funcionários, tempo e tudo o mais?
Ontem, acompanhei minha esposa a um hospital do convênio para um pequeno procedimento dermatológico para o qual ela já havia recebido indicação através de uma consulta prévia.  Na recepção, o sempre presente dispensador de senhas numéricas.  Depois de uma espera razoável, um tempo de atendimento mais longo ainda para o preenchimento da papelada.
Depois de preenchidos todos os formulários, feitas as assinaturas, carimbos, benzeduras e outros ritos no guichê, foi solicitado a ela que se dirigisse à ala dos consultórios e aguardasse a chamada. Lá estávamos e, depois de algum tempo vem a funcionária da recepção trazendo um punhado de papeis e depositando em um escaninho na porta do consultório.

Quanto tempo se perde em atividades inúteis?

Mais um tempinho de espera e sai o médico para recolher os formulários, entra novamente no consultório (provavelmente para ler do que se trata), e depois inicia a chamada dos pacientes.  Ora, estamos em 2016, será que não seria mais prático que cada médico recebesse online a ficha dos pacientes designados?  
Ah, e antes de executar o procedimento, o médico solicitou que a paciente voltasse à recepção para preencher novos formulários para que ele pudesse realizar o procedimento.
Ora, mas se já havia uma indicação prévia declarada logo ao chegar, por que todos os formulários não foram preenchidos de uma só vez?
A conclusão é que gastamos mais tempo na recepção preenchendo a papelada do que no procedimento propriamente dito, que não chegou a demorar 5 minutos.
Em quantos outros lugares como Bancos, Correios, Postos de combustível, e mesmo de forma mais prosaica em bares, restaurantes e padarias, não nos deparamos com esse mau uso dos recursos?
Esses são apenas alguns exemplos que compõem o custo (escondido) da nossa ineficiência crônica, que derrubam o nível de serviço, e que fazem com que tudo demore mais e demande recursos desnecessários.
Sabe por que?   Porque parece que o ato de pensar está cada vez menos valorizado e a criatividade deu chá de sumiço.  Temos os recursos mas continuamos repetindo coisas do tempo em que sequer existiam computadores. Isso faz com que milhares de horas e milhões de Reais sejam gastos sem que se acrescente uma mísera gota de valor ao produto ou ao serviço.
Está na hora de cada um de nós fazer algo no sentido de eliminar a ineficiência nossa de cada dia.
E você, o que anda fazendo para racionalizar as suas atividades diárias no trabalho?

Desafio – Teste sua atenção

Nós os logísticos sabemos o quanto é necessário sermos observadores. Muitas vezes o sucesso depende de pequenas coisas.

O desafio proposto é:

Baseado apenas no que você pode ver nessa cena, essa foto aponta para qual ponto cardeal?

O que é ser um bom analista?

Minhas postagens são principalmente sobre logística, e boas práticas que levam ao aumento do desempenho e produtividade. Mas creio que o que vai escrito a seguir vale para qualquer ofício.

Uma pergunta recorrente que sempre me fazem é sobre quais são as características de um bom analista de processos – abrangendo nisso tempos e métodos, processos, logística, etc…

Minha vis&atildeo:
Um bom analista tem antes de mais nada, que ser um bom observador e não se deixar influenciar pela aparência das operações.  Sempre terá uma coisinha que é possível simplificar, e com isso melhorar!

Essa é uma das características que eu mais prezo no pessoal que trabalha comigo. A criatividade e a capacidade de simplificar.

Mas há coisas a acrescentar: Como diria o inesquecível poetinha Vinicius de Morais, beleza é fundamental, e isso não vale só para as garotas de Ipanema, mas também para métodos de trabalho, equações matemáticas, instrumentos e veículos.

Meu pai, que era um carpinteiro naval autodidata até a raiz dos cabelos, sempre me dizia que um barco feio é um barco ineficiente. E mesmo sem saber definir hidrodinâmica, quanto mais resolver uma equação sequer, seus barcos e lanchas eram elogiados pelo desenho e desempenho.

Há sempre um jeito mais simples
Também me lembro de um professor que me dizia que “Se está complicado de compreender ou de fazer, pare e pense porque há uma forma mais simples de solucionar a questão”.

Parafraseando eu digo que um método de trabalho complicado é um método de trabalho ineficiente.  E acrescento “A excelência é simples!”.  E creio tanto nisso que acabei adotando essa frase como meu mantra empresarial.

Neste final de semana assisti novamente o vídeo de uma palestra do TED com  jornalista David Pogue com o título “Simplicidade vende”.  Apesar de ter sido postada em 2006 e o foco ser tecnologia da informação, vale a pena assisti-la pelos exemplos.

Também indico para quem gostou do tema, que leiam o livro “As leis da simplicidade” de John Maeda. A décima lei diz: “Simplicidade diz respeito à eliminar o óbvio e acrescentar o significante”

Experimentem e vejam quantas coisas simples estão esperando para dar as caras debaixo de cada pilha de coisas complicadas.  Os benefícios da simplificação são indolores e imediatos.

Até a próxima postagem.

Frases sobre Logística ao longo da história

Fonte: Inbound Logistics Magazine

Pessoas famosas já disseram frases fantásticas sobre transporte e logística.
Talvez sejam as empresas que eles dirigem ou os exércitos que eles lideram, mas há um inegável viés marcial no modo como figuras históricas contextualizam a importância desse nosso negócio.

De uma inteligente e bem humorada frase ligando um cavalo sem ferradura com a desatenção pelos detalhes dita por Benjamin Franklin, até uma florida comparação entre a vitória e o transporte dita por Winston Churchill, a Inbound Logistics Magazine em sua edição de Junho, fez um mergulho nos anais da história para nos oferecer alguns ditos notáveis sobre “supply chain”.

Vamos a eles, Espero que gostem:

“Meus logísticos são um grupo mal humorado…Eles sabem que se minha campanha falhar, eles serão os primeiros a serem executados”.

Alexandre O Grande

“Uma pequena negligência pode aumentar os mal-entendidos: Pela falta de um cravo, perdeu-se a ferradura, pela falta da ferradura perdeu-se o cavalo, e pela falta do cavalo o cavaleiro se perdeu”.

Benjamin Franklin

Você não terá dificuldade em provar que batalhas, campanhas, e mesmo guerras foram vencidas ou perdidas primariamente por causa da logística.

General Dwight D. Eisenhower

A experiência me permite afirmar que os produtores são agora tão necessários à nossa independência, quanto para o nosso conforto.

Thomas Jefferson

Amadores falam em táticas. Profissionais falam em logística.

Ditado militar moderno

Logística é aquela coisa que se você não tiver o suficiente, sua guerra não será vencida tão breve quanto poderia.

Nathaniel Green, General Intendente do Exército Revolucionário Americano

“Cavalheiros, um oficial que não conhece sua comunicação e seus suprimentos tão bem quanto suas táticas é completamente inútil.”

General George S. Patton

“A VITÓRIA é a flor mais bonita, brilhante e colorida. Transporte é o caule sem o qual ela nunca teria desabrochado”

Sir Winston S. Churchill

A LINHA ENTRE
DESORDEM


e ORDEM
TEM ORIGEM NA LOGÍSTICA.

Sun Tzu